Presidente da Fifa diz que pandemia poderá resultar em calendário mais enxuto no futebol


A pandemia do novo coronavírus suspendeu praticamente todo o futebol pelo planeta. Mas pode ir além. Em entrevista ao jornal “La Gazzetta Dello Sporrt”, Gianni Infantino, presidente da Fifa, levantou a possibilidade de um calendário mais enxuto, com menos competições.

– Precisamos estudar o impacto global dessa crise. Agora é difícil, não sabemos quando voltaremos à normalidade. Mas vamos olhar as oportunidades. Talvez possamos reformar o futebol mundial dando um passo atrás. Com diferentes formatos. Menos torneios, porém mais interessantes – afirmou Infantino ao diário italiano.

“Todos teremos que fazer sacrifícios”, diz Infantino

Aniversariante do dia completando 50 anos de idade, Infantino enfatizou a importância de privilegiar a saúde nestes tempos de emergência global devido à disseminação do coronavírus.

– Saúde primeiro e depois tudo o mais. É esperar o melhor e se preparar para o pior. Sem pânico. As Federações e Ligas devem seguir as recomendações dos governos – salientou o dirigente, que prepara uma força tarefa para ajudar clubes e federações no impacto econômico que o coronavírus traz com suspensões e paralisações de campeonatos.

– Mostramos um espírito de cooperação e solidariedade com a Europa e a América do Sul (nota: alusão aos adiamentos para 2021 da Eurocopa e Copa América). Agora temos que pensar no momento dos clubes e nas decisões sobre a regulamentação do status dos jogadores e transferências. Temos que pensar em proteger contratos. São necessárias medidas. Será difícil, mas não há outra opção. Todos teremos que fazer sacrifícios – afirmou.

Fonte: GloboEsporte.com

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠