Decisão judicial que impôs novas eleições no Vasco abre caminho para que atos de Campello sejam revistos

A decisão da juíza Gloria Heloiza Lima da Silva de anular as últimas eleições do Vasco agitaram ainda mais os bastidores do clube nos últimos dias. Além da necessidade de um novo pleito no fim do ano, marcado para 8 de dezembro, o último item da liminar é o que muda a rotina do Cruz-Maltino.

3) Estão mantidos, interina e provisoriamente, os gestores e mandatários em exercício, diante da necessidade de garantir a segurança jurídica dos atos jurídicos já praticados, que poderão ser ratificados ou não após a posse dos novos eleitos.

Diante da decisão liminar, todos os atos praticados pelo presidente Alexandre Campello entre o último dia 28 e a posse do novo mandatário serão revistos por quem assumir o Vasco. Ou seja, possíveis renovações, contratações e contratos de marketing, por exemplo, estão travados.

Não houve uma determinação direta de Campello ao departamento de futebol para que negociações por renovações contratuais fossem paralisadas, mas o temor de que contratos assinados agora sejam cancelados num futuro próximo é real. Por isso, a diretoria tem sido cautelosa.

Fabrício, Giovanni Augusto, Luiz Gustavo, Andrés Ríos, Bruno Silva, Lenon, Willian Maranhão e Kelvin, por exemplo, têm contrato até o fim de 2018. Se renovarem, seus novos vínculos poderão ser revistos pela nova diretoria a partir de janeiro de 2019.

É exatamente por causa o item 3 da decisão da juíza Gloria Heloiza Lima da Silva que não sai o empréstimo de R$ 31 milhões, que serviria para pagar as contas do Vasco até o fim do ano (salários de jogadores e funcionários). Entende-se, no departamento jurídico, que os termos assinados no contrato poderiam ser revistos pelo novo presidente.

– Agora é o momento de a gente conseguir o patrocínio. É nesse momento que as grandes empresas tomam as decisões de investir no próximo ano. Estão planejando agora. Agora dia 5 está vencendo mais um mês. Muito provavelmente não conseguiremos pagar. Temos trabalhado muito para minimizar isso. Os funcionários com até R$ 4 mil estão com salário em dia. Sem empréstimo, sem previsão para pagar (os salários dos jogadores) – disse Campello em entrevista coletiva.

A visão nos bastidores do Vasco é de que o presidente estaria, de qualquer forma, tentando cassar a liminar da Justiça, mas com um pouco mais de tranquilidade, não fosse o item 3 da decisão.

Fonte: GloboEsporte.com

== Escreva um comentário ==

Cartola FC: Liga Oficial Vascaínos Unidos
Participe: Grupo de Debates no Facebook
Curta: Fan Page VU no Facebook
Seja Sócio Torcedor Gigante. Confira os novos planos!