Decisão judicial de anular eleição pode gerar atraso nos salários no Vasco

Amanhã o Vasco vai a Curitiba enfrentar o Paraná Clube em uma nova batalha na guerra contra o rebaixamento. No entanto, a notícia que mais tem chamado a atenção no clube atualmente está nos bastidores: a anulação da eleição realizada em novembro passado. O presidente Alexandre Campello lamentou a decisão da juíza Glória Heloiza Lima da Silva, da 28ª Vara Cível do Rio, dizendo que o fato afeta o ambiente no clube.

— Neste primeiro momento, tanto os jogadores quanto a comissão técnica confiam na direção. Procurei tranquilizá-los, disse que é uma decisão liminar com possibilidade de ser derrubada, e é nisso que vamos trabalhar. Independentemente disso, essa gestão continua até dezembro. Mas óbvio que isso traz intranquilidade. Esse é mais um prejuízo que essa liminar traz ao clube — disse o presidente.

A decisão inclusive está colocando em risco o empréstimo de R$ 31 milhões obtido pela diretoria, aprovado recentemente pelo Conselho Deliberativo. Sem dinheiro e perspectiva de receitas, os salários acabariam atrasando ainda mais. O débito atual é de um mês na folha, isso sem contar dezembro, férias e 13º de 2017.

Julio Brant comemora

Candidato da chapa “Sempre Vasco” na última votação, Julio Brant comentou a decisão da Justiça.

— Quero parabenizar a decisão do Tribunal de Justiça do Rio, que vem entendendo o processo e atuando de forma a deixar claro de que não há ninguém acima da lei — diz ele.

Fonte: Extra Online

== Escreva um comentário ==

Cartola FC: Liga Oficial Vascaínos Unidos
Participe: Grupo de Debates no Facebook
Curta: Fan Page VU no Facebook
Seja Sócio Torcedor Gigante. Confira os novos planos!