Carrasco relembra como superou Fla com Vasco em crise: ‘Foi meu desabafo’

Agosto de 2015. O Vasco estava em situação ainda mais crítica do que agora, atolado na zona de rebaixamento. Pela frente nas oitavas de final da Copa do Brasil, o rival Flamengo, que carregava todo o favoritismo sobre as costas. Após vencer o primeiro jogo por 1 a 0, o Cruzmaltino perdia o da volta pelo mesmo placar, quando Rafael Silva entrou em campo aos 34 minutos do segundo tempo, sofreu uma falta aos 35 e, aos 36, de cabeça, calou os rubro-negros, que eram maioria no Maracanã, dando a classificação heroica ao clube de São Januário.

Passados três anos, o atacante – atualmente no Dalian Transcendence (CHI) – continua sendo lembrado não só pelo feito, mas também pela comemoração, quando foi em direção aos rubro-negros e fez o gesto de degolação, hoje muito marca de Henrique Dourado, justamente o atacante que enfrentará o Vasco neste sábado, às 19h, em Brasília (DF).

“A galera me pergunta (quem começou), mas sinceramente eu não sei, só sei que passou aquilo na minha cabeça. Foi um gesto, como se tivesse calando a boca deles (rubro-negros), porque estavam falando muita coisa antes do jogo. Não sei a maneira que o Dourado pensa quando faz, mas a minha maneira foi essa, foi meu desabafo”, declarou Rafael, ao UOL Esporte, admitindo que a comemoração já estava planejada previamente:

“Foi um negócio planejado, sim. Quando faltavam algumas horas para o jogo, eu estava no hotel e fiquei meio que revoltado. O pessoal criticava muito o Vasco. O Flamengo, querendo ou não, não respeitou nosso momento. Quando fui para o banho antes de me preparar, pensei: ‘preciso dar uma resposta e vou fazer esse gesto’. Quando fiz o gol, veio na hora a comemoração”.

Hoje mais maduro, Rafael Silva tem a real dimensão do que é ser protagonista de um clássico como Vasco x Flamengo, ainda mais em circunstâncias adversas para o Cruzmaltino.

“Hoje eu vejo a dimensão. Porque quando se está envolvido no clima, quando tem jogos na semana, não há muito tempo para comemorar, desfrutar da vitória, a gente vira a chave depois que ganha. Só depois que você está fora do clube vê a dimensão pela torcida, o tanto que veneram ganhar do rival. Meu Instagram bomba de vascaíno relembrando disso”, diz.

Meses antes, na mesma temporada, Rafael Silva fez um gol em cada jogo das finais do Campeonato Carioca contra o Botafogo e sagrou-se campeão estadual. O atacante, contudo, não tem dúvidas em afirmar que o feito sobre o Flamengo foi mais marcante.

“O gol na final foi muito importante porque o Vasco estava há 13 anos na fila sem vencer o Carioca, e Deus me abençoou por fazer dois gols nas finais. O pessoal até diz que é o Carioca do Rafael Silva (risos), mas se for para colocar na balança, o do Flamengo foi mais marcante”.

Preocupado com o momento atual do Vasco na tabela do Campeonato Brasileiro, ele deu um recado antes do clássico deste sábado:

“O Vasco é gigante. As pessoas têm que saber que o Vasco é gigante independentemente da situação”.

O detalhe do gol 

Rafael Silva lembra com detalhes o fatídico gol aos 36 minutos do segundo tempo do dia 26 de agosto de 2015. O atacante destacou o fato de o Flamengo estar sofrendo muitos gols de bola parada naquela época e treinou seu posicionamento na área.

“Eu vinha de uma sequência que já estava fazendo gols importantes. Sabia que eu ia entrar na semana pelos treinamentos e partidas anteriores. Fiquei bem confiante que ia fazer, mas não sabia o momento. Naquela época o Flamengo vinha sendo bem criticado por tomar muito gol de bola parada. Lembro que eu mesmo sofri a falta e, naquele momento, fiquei infiltrado entre a defesa deles quietinho. Quando o Nenê bateu a falta, me antecipei e fiz o gol. Aliás, foi um gol muito difícil. Lembro que depois ficamos brincando na semana seguinte tentando repetir nos treinos, fiquei dando peixinho e não conseguia (risos)”, se recorda..

Gosta de provocar os flamenguistas

Rafael Silva é o típico atacante à moda antiga. Não costuma adotar o politicamente correto e gosta de provocar. Mesmo de longe, não perdeu a oportunidade de alfinetar o Flamengo quando o rival foi eliminado recentemente para o Cruzeiro, seu ex-clube, na Libertadores.

Logo após a partida, ele postou uma foto em seu Instagram com a camisa da equipe azul celeste com a legenda: “beijo e tchau”.

Na mesma hora, cruzeirenses e vascaínos vibraram, enquanto rubro-negros passaram a ofendê-lo.

“Quando o Flamengo ganha, eles são os primeiros a irem nas minhas redes sociais, mas quando perdem, eu tiro uma onda e eles não aguentam, me xingam, xingam minha família. Tem que saber brincar. Se não aguenta, não desce para o play. Quando eles foram eliminados pelo Cruzeiro, postei uma foto para tirar uma onda, e eles me xingaram. Mas vejo isso como uma brincadeira no futebol. Está faltando isso no futebol. Eu cresci assim, vendo os mais antigos brincando. Se o futebol perder isso aí, não tem mais graça”, argumentou.

Desejo de retornar ao Vasco

Rafael Silva não esconde de ninguém seu desejo de um dia retornar ao Vasco. O atacante revelou que isso ficou perto de acontecer nesta temporada, mas as negociações não evoluíram, e ele acertou sua transferência para a China.

“Já tentei de várias maneiras voltar. Teve uma época, até mesmo quando eu estava em negociação para vir à China, que surgiu um boato de voltar para o Vasco, e eu falei que abriria mão de vir para cá, mas o pessoal do Vasco tinha outras prioridades. Mas o Vasco sempre ficou no meu coração e será sempre prioridade. As pessoas perguntam por que eu saí de lá e até hoje não sei”, disse.

O atacante lembrou que chegou a “cavar” uma renovação na época que ainda estava em São Januário.

“Teve um jogo contra o Cruzeiro que fiz dois gols e, quando retornei ao Rio, até brinquei com vocês (jornalistas) para darem uma moral para mim junto ao presidente (Eurico Miranda) para renovar. Eu estava bem, fazendo um campeonato excelente, eles pediram para renovar, e até hoje não sei o motivo. Eu até queria passar isso aos torcedores, pois muitos não entenderam. Não poderia ficar sem trabalhar. Mas eu creio que um dia possa voltar e tentar dar alegria a eles”.

Vizinho de Riascos na China

Quem tem feito companhia a Rafael Silva na China é justamente outro atacante que se notabilizou por ser carrasco do Flamengo nos últimos anos: Riascos, que defende o Dalian Yifang. Nos momentos de folga, os dois costumam se encontrar para jantares e passeios com a família na cidade de Dalian.

“Estamos na mesma cidade, mas agora somos rivais. O meu time e o dele é como se fosse Vasco x Flamengo (risos). Até brinquei com ele: ‘Pô, Colômbia! Você não me esquece também! Fui para o  Vasco, você foi. Aí depois fui para o Cruzeiro e você também. E agora até na China, do outro lado do mundo (risos)! Mas o Riascos é um parceiro de longa data, e na folguinha procuramos estar juntos”, declarou Rafael Silva, que já adiantou que a dupla está na torcida pelo Vasco para este sábado:

“Se estivermos de folga, vamos assistir juntos e torceremos para o nosso Vascão”.

Rafael Silva tem 18 jogos disputados pelo Dalian Transcendence com sete gols marcados. O jogador ficou de fora de apenas quatro partidas na temporada, e seu contrato termina em novembro deste ano.

Fonte: UOL

== Escreva um comentário ==

Cartola FC: Liga Oficial Vascaínos Unidos
Participe: Grupo de Debates no Facebook
Curta: Fan Page VU no Facebook
Seja Sócio Torcedor Gigante. Confira os novos planos!