Campello fala sobre seu mandato, rompimento com a Identidade Vasco, relação com Eurico e patrocínio

No próximo dia 22, Alexandre Campello completa oito meses como presidente do Vasco. Apesar das dificuldades, o clube vem buscando a reabilitação. Aumentou o número de sócios, conseguiu patrocínios e mantém em dia os salários de 2018. Em entrevista exclusiva ao Esporte 24 Horas, Alexandre Campello afirmou que o balanço até o momento é bastante positivo.

“Obviamente a gente esperava encontrar um cenário de grande dificuldade. Agora, a situação tende a se estabilizar a partir de uma maior eficiência da gestão. Aumentamos as receitas, diminuímos as despesas e vejo hoje o clube mais próximo de um equilíbrio”.

O equilíbrio financeiro na projeção de Alexandre Campello passa pela reunião do Conselho Deliberativo, marcada para o dia 17. Os conselheiros vão decidir pela aprovação ou não, do empréstimo de R$ 38 milhões. Para Campello, esse dinheiro é primordial para o clube caminhar tranquilo até o final do ano.

“A gente espera que os conselheiros deixem de lado questões políticas e pensem no bem do Vasco, aprovando o empréstimo. Ele será fundamental para que a gente termine 2018 com tranquilidade. Com isso, a partir de 2019, o clube pode estar mais próximo do equilíbrio financeiro, tendo mais fôlego para fazer investimentos no futebol”.

Não há como prever o resultado da reunião, já que existem diversas correntes políticas com opiniões contrárias. Hoje quem é contra, já foi o principal aliado, e quem está a favor, antes era oposição.

Rompimento com a Identidade Vasco

Um dos episódios mais conturbados da gestão de Alexandre Campello aconteceu em maio. Treze vice-presidentes renunciaram, expondo o racha entre o presidente e a Identidade Vasco, grupo político que sustentou a candidatura. Alexandre Campello apontou os motivos que causaram o rompimento.

“Sem dúvida foi por questões políticas. Buscamos abrir o quadro de sócios e promovemos a Anistia. Aumentamos o número de votantes e trouxemos mais recursos para o clube. Pelo visto, essas medidas incomodaram alguns. Sem dúvida hoje o Vasco está melhor com quem pensa, única e exclusivamente, no melhor para o clube”.

Relação com Eurico Miranda

Não tendo ao lado antigos aliados, Alexandre Campello conta com o apoio de Eurico Miranda, presidente do Conselho de Beneméritos. Hoje um amigo, antes, um rival político dentro do Vasco. Campello afirmou que a relação é apenas institucional, para o bem do clube.

“Eu tenho com ele uma relação institucional. Eurico Miranda é presidente de um dos poderes do clube, e é preciso, pelo bem do Vasco, que a gente mantenha um relacionamento respeitoso. Não só com ele, mas com todos os outros também”.

Mudanças no departamento de futebol

A gestão do presidente Alexandre Campello é marcada por inúmeras mudanças no departamento de futebol. A começar pela renúncia do vice-presidente Fred Lopes, no episódio que marcou o racha com a Identidade Vasco. Depois, o técnico Zé Ricardo pediu demissão. Logo em seguida, o diretor executivo Paulo Pelaipe e o gerente de futebol, Newton Drummond, foram demitidos. Muitas mudanças, em pouco tempo. No entanto, decisões tomadas pensando no melhor para o Vasco.

“Quando você contrata um profissional, a expectativa é que ele passe um tempo considerável no clube e cumpra as metas estabelecidas, porém nem sempre isso é possível. As mudanças geram um desgaste, mas é sempre pensando no melhor para o Vasco”.

Críticas ao Departamento Médico

Por ter sido um grande médico do Vasco, Alexandre Campello vem sofrendo críticas por conta de lesões sofridas ao longo da temporada. O presidente explicou que o número elevado já era esperado por conta da Copa do Mundo.

“Tivemos diversos problemas decorrentes de choque, ou seja, jogadores que machucaram o ombro e o braço, por exemplo. Quanto às lesões musculares, elas já eram esperadas. Não só no Vasco, como em todos os clubes, por conta do calendário apertado em virtude da Copa do Mundo”.

Patrocínios

Quanto a patrocinadores, a gestão de Alexandre Campello vem merecendo elogios. Atualmente o uniforme do Vasco estampa a marca de cinco empresas privadas (Refit-Refinaria de Petróleo, Zoom, Tim, Yes e GPI). No entanto, nenhuma ocupa o lugar nobre, o centro da camisa. O presidente Alexandre Campello afirmou que o clube segue buscando um patrocinador master.

“Existem conversas. Avançadas ou não, melhor a gente não expor. O importante é que o Vasco voltou a ser atrativo para o mercado publicitário, e isso é que nos dá a certeza de que estamos no caminho certo”.

Maracanã

Uma das metas da diretoria é estreitar as relações com o Maracanã, que é um credor do Vasco. Campello acredita que a parceria pode ser lucrativa para ambos os lados.

“Embora tenha São Januário como sua casa principal, o Vasco não pode abrir mão do Maracanã, que quer ser parceiro do Vasco. Estamos conversando para chegar a um acordo que seja bom para os dois lados. O jogo contra o Santos foi o pontapé inicial nessa nova relação”.

Relação com o torcedor

Alexandre Campello sofria com muita rejeição por parte dos vascaínos, devido ao rompimento político com Julio Brant, da Chapa Sempre Vasco. Com muito trabalho, o presidente afirmou que o cenário vem mudando nos últimos meses.

“Me chateou muito a reação inicial dos torcedores após a eleição. Porém agora, muitos deles que antes criticavam, eram contra ou ofendiam, especialmente pelas mídias sociais, me agradecem porque estão vendo que essa diretoria está colocando o Vasco nos trilhos. Tudo isso graças ao trabalho de uma gestão profissional”.

Futebol em 2019

Já para o ano que vem, Alexandre Campello pretende montar uma equipe competitiva que possa almejar títulos.

“Sem dúvida alguma a expectativa é que, a partir dessa base que montamos em 2018, possamos, com mais fôlego financeiro, adicionar outros jogadores de qualidade e ter um time brigando pelas primeiras posições de todos os campeonatos que disputarmos”.

Médico x Presidente

Alexandre Campello possui vasta experiência no futebol já que foi médico do Vasco durante vários anos. Iniciou seu trabalho no clube em 1985 e acabou saindo em 2004 por divergências com o então presidente Eurico Miranda. Retornou ao Vasco em 2008, na gestão Dinamite e saiu em 2012. Todo esse tempo no futebol como médico ajuda o agora presidente Alexandre Campello.

“Minha trajetória de mais de 30 anos no clube, principalmente a vivência no vestiário, me ajuda na tomada de decisões e a ter sensibilidade para entender certas situações. Não posso deixar de destacar o fato de que minha experiência profissional também me ajuda como administrador”.

Ser presidente do Vasco

Apesar de todos os problemas, Alexandre Campello afirmou que o desafio de ser presidente está valendo a pena.

“É um desafio interessante. Só pelo lado do trabalho, do desgaste, não ficaria aqui dois dias (risos). Trabalho 10, 12 horas por dia pelo Vasco. Tenho uma gratidão enorme pelo clube e é um prazer fazer algo que ficará marcado na história. Quero deixar o legado de um clube moderno, capaz de retomar as conquistas. Vou conseguir. Nada do que eu entro para fazer, eu entro para perder”.

Fonte: Esporte 24 Horas

== Escreva um comentário ==

Cartola FC: Liga Oficial Vascaínos Unidos
Participe: Grupo de Debates no Facebook
Curta: Fan Page VU no Facebook
Seja Sócio Torcedor Gigante. Confira os novos planos!