Alberto Valentim: Pouco sono e plano de esquecer rebaixamentos do Vasco

A gordura em relação à zona do rebaixamento evaporou. Embora ainda esteja com um jogo a menos, o Vasco se vê um ponto acima da zona do rebaixamento e em uma sequência de três derrotas seguidas. O número coincide com a chegada de Alberto Valentim ao comando do time. O treinador tem dormido pouco, ele mesmo admite. Talvez seja porque a lista de problemas a resolver é grande. Embora o time tenha conseguido diante do América-MG fazer o primeiro gol sob a tutela do novo chefe, o placar não esconde a necessidade de reação imediata.

– Só não estou trabalhando quando estou dormindo. E eu tenho dormido pouco, mesmo vindo de um fuso de cinco horas – disse Alberto, referindo-se ao curto período em que trabalhou no Egito, antes de assumir o time carioca.

Vendo o fantasma do rebaixamento de perto, mesmo com tanta coisa para acontecer no campeonato, a estratégia é tirar da mente do elenco a lembrança dos outros três rebaixamentos da história cruz-maltina – que ocorreram em um passado recente, 2008, 2013 e 2015.

– Nós vamos nos blindar de um Vasco de anos anteriores. Não podemos carregar o peso de anos anteriores em que o Vasco caiu. Temos que falar de hoje. Vamos fazer um campeonato em que vamos melhorar na classificação. O torcedor pode ter certeza disso. Vamos nos abraçar de uma forma que vocês não têm ideia. Vamos para a guerra neste campeonato. Acreditem, não é da boca para fora. Estamos tristes, p… da vida. Mas vamos recuperar – assegurou o treinador.

Mesmo com o calendário apertado, como já de costume no futebol brasileiro, Alberto defende que o trabalho é a única rota de escape para a crise. Defensivamente, o time continua com o mesmo problema: insegurança. O ataque também perdeu o fôlego nos últimos jogos, em que pese o acréscimo técnico que Máxi López trouxe. Na próxima semana, o Vasco terá um intervalo maior para treinamentos.

– Vamos trabalhar, vamos reagir. Precisamos criar mais, melhorar nossa fase defensiva. Os jogadores sabendo que daqui a pouco temos que reagir. É no domingo já, o futebol não dá chance de comemorar vitórias ou ficar remoendo derrotas – disse o treinador, que vê na concentração uma oportunidade para conhecer melhor os jogadores.

A realidade que Valentim não nega é que a cobrança da torcida tem fundamento e cabe ao grupo de jogadores e ao próprio treinador a capacidade de absorver para reagir no domingo, contra o Vitória.

– Nós precisamos nos unir, entender que vamos sofrer críticas, tomar umas porradas. São três jogos no meu comando com derrotas. Não estamos bem classificados. Temos que conversar, mostrar o que está errado. Não dá tempo de treinar muito. É absorver o mais rápido possível – afirmou.

Fonte: Extra Online

== Escreva um comentário ==

Cartola FC: Liga Oficial Vascaínos Unidos
Participe: Grupo de Debates no Facebook
Curta: Fan Page VU no Facebook
Seja Sócio Torcedor Gigante. Confira os novos planos!