Vice-presidente do Vasco, Elói Ferreira critica falta de negros na Academia Brasileira de Letras

A eleição do cineasta Cacá Diegues para a Academia Brasileira de Letras causou frustração em quem torcia pela escritora Conceição Evaristo. O ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, aprovou a escolha. Já o ex-ministro da Igualdade Racial Eloi Ferreira gostaria de ver mais negros na ABL.

Foi justa a eleição de Cacá Diegues?

Sérgio Sá Leitão – Em sua vasta obra cinematográfica, ele usou e valorizou com maestria a língua portuguesa. Sua eleição para a ABL se justifica plenamente. É preciso respeitar a autonomia da ABL e o papel de Cacá como intelectual.

Eloi Ferreira – É um dos mais brilhantes intelectuais da atualidade. A ABL ganha com sua presença.

Por que a campanha por Conceição não emplacou?

Sérgio Sá Leitão – Por diversas razões, os acadêmicos entenderam que era a vez de Cacá.

Eloi Ferreira – A invisibilidade da comunidade negra promove a sua inviabilidade. Conceição Evaristo, por mais brilhante que seja, é invisível aos olhos da elite intelectual branca.

Falta negro na ABL?

Sérgio Sá Leitão – Não me cabe avaliar. É natural e positivo que haja cada vez mais negros na ABL e em todas as áreas e instituições culturais do Brasil.

Eloi Ferreira – A ABL é um centro de homens brancos. As honrosas exceções de gênero e do único negro membro Domício Proença só confirmam a regra. É imprescindível que a Casa se abra a autores negros e negras.

Fonte: Blog Marina Caruso – O Globo Online

== Escreva um comentário ==

Cartola FC: Liga Oficial Vascaínos Unidos
Participe: Grupo de Debates no Facebook
Curta: Fan Page VU no Facebook
Seja Sócio Torcedor Gigante. Confira os novos planos!