Juniores: Moresche avalia a temporada 2018, fala sobre sua posição e estreia nos profissionais

Nos últimos dias, para homenagear os 120 anos do Vasco no dia 21 de agosto, o NewsColina! conversou com uma grande referência do passado vascaíno, Mauro Galvão, ídolo e capitão do time que conquistou maior título do futebol no clube, a Taça Libertadores de 1998 (confira nossa exclusiva com o Capitão da América clicando aqui).

Projetando o futuro do Vasco, chega a vez de um dos destaques do atual time sub-20 cruzmaltino e eventualmente utilizado no elenco profissional nos dar a palavra. Falamos com o jovem Matheus Moresche, de 20 anos, atacante (ou seria meia?!) dos juniores do Vasco.

Moresche, que, vale ressaltar, passou a ser utilizado como centroavante somente no Campeonato Carioca desse ano da categoria, após lesão de Hugo Borges (antes disso era meia) e tem, entre sub-20 e time principal, 22 jogos com a camisa cruzmaltina e 3 gols marcados.

Confira o bate-papo:

NewsColina: Entre profissional e sub-20, como você avalia sua temporada de 2018 até aqui?

Matheus Moresche: Tem sido uma temporada de muito aprendizado, mas muito mesmo, por conta de eu ter começado uma função nova (centroavante) e ter conseguido me adaptar muito bem. No profissional também, com um pouco mais de dificuldades, por conta do estilo de jogo diferente do futebol de base. Então, acho que a temporada até aqui, entre profissional e sub-20, foi de muito aprendizado e experiência. Eu acho que o jogador hoje em dia tem que saber jogar em várias posições porque é o que o futebol moderno hoje pede, então temos que estar preparados para qualquer função e estar bem em todas.

NewsColina: Já aproveitando o gancho: você chegou ao Vasco como um meia de criação e hoje joga regularmente como centroavante. Afinal de contas, qual é sua posição oficial? Aonde sente-se mais à vontade?

Matheus Moresche: Então, como eu disse, eu acho que o jogador hoje em dia tem que estar preparado pra jogar em qualquer função. Eu descobri uma posição nova, a qual eu me adaptei muito bem, fui muito bem. Eu hoje não digo que sou centroavante ou que sou meio-campo. Eu sou o que o clube precisar, jogo onde o treinador precisar. Acho que esse tem que ser o espírito: onde tiver que jogar, eu jogo.

NewsColina: Como foi para você o sentimento na estreia pelo time profissional (entrou no segundo tempo no jogo Bahia 3 x 0 Vasco, em 27/05/2018, na Arena Fonte Nova, em Salvador, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro)?

Matheus Moresche: A sensação de estrear foi muito boa. É o sonho de toda criança, de todo jogador, e não poderia ser diferente comigo. Era um sonho que eu tinha e graças a Deus eu pude realizar.

NewsColina: Contra o Paraná, na rodada seguinte, você entrou aos 40 minutos do segundo tempo e acabou sendo expulso aos 47. O que aconteceu? Ansiedade por querer mostrar serviço pesou?

Matheus Moresche: A minha expulsão bate um pouco com o que eu disse na primeira resposta, em relação a aprendizado. Acho que serviu muito de aprendizado pra mim. Foi um lance que eu entrei querendo mostrar muita dedicação, muita raça, pois eu acho que é isso que a torcida do Vasco pede, que o Vasco quer, então foi um momento que eu quis mostrar muito o porquê de eu estar ali, que nunca iria faltar dedicação e raça. Acabei sendo um pouco exagerado, agindo muito pelo impulso do momento, do calor do jogo. Mas serve de aprendizado. Dedicação nunca vai faltar, mas com responsabilidade, com dosagem, então isso foi muito importante pra mim. Nem sempre as coisas ruins vêm pra atrapalhar, as vezes vêm pra ajudar. Então, eu aprendi muito e serviu de lição não só para agora, mas também para minha carreira toda.

NewsColina: Atualmente, você tem sido mais utilizado no sub-20, até por conta do Brasileirão da categoria, que está em andamento. Como foi decidido esse seu ‘retorno’ aos juniores e qual sua projeção para o Vasco nesta competição?

Matheus Moresche: Isso foi decidido ainda com o Jorginho. Ele viu com bons olhos pra mim esse retorno, até para ajudar a equipe sub-20, e é isso que estou fazendo, tentando ajudar de todas as formas a categoria, até porque eu ainda tenho idade de sub-20. A projeção que eu tenho é que o nosso time é muito bom, muito qualificado. O professor Marcos Valadares é um excelente treinador. Apesar da derrota na segunda fase contra o Coritiba e o empate do último jogo, contra o Fluminense, eu tenho total certeza de que vamos nos classificar e ter uma sequência boa a partir do jogo contra o Flamengo.

NewsColina: Qual a maior diferença, na sua opinião, de jogar no profissional e nos juniores?

Matheus Moresche: No profissional, o jogo é mais cadenciado, um jogo com um pouco mais de inteligência, mais posicional, digamos assim. Já nos juniores, é um jogo mais intenso, de mais correria, mais ataque. Sendo que, no profissional, também é necessário ter um pouco mais de força, de pegada. Então, na minha opinião, essas são as diferenças entre os dois.

NewsColina: Para encerrar: deixe um recado para a torcida vascaína.

Matheus Moresche: Meu recado é uma das coisas que eu sempre levo comigo: nunca vai faltar dedicação, raça, vontade. Isso nunca vai faltar. Sempre que eu estiver em campo, vou dar a vida. Torcida pode sempre esperar um jogador guerreiro, que vai dar a vida pelo Vasco, que é um dos maiores clubes do mundo, sem dúvida alguma. Podem esperar que eu ainda vou dar muitas alegrias à torcida vascaína.

Fonte: NewsColina

== Escreva um comentário ==

Cartola FC: Liga Oficial Vascaínos Unidos
Participe: Grupo de Debates no Facebook
Curta: Fan Page VU no Facebook
Seja Sócio Torcedor Gigante. Confira os novos planos!