Natação: Camille Rodrigues revela suas metas


Os últimos dias foram agitados para Camille Rodrigues. Depois de participar da nova abertura do Fantástico, há duas semanas, a nadadora vem colhendo os louros da fama, cada vez maior. E ela quer mais. Aos 26 anos, a atleta natural de Santo Antônio de Pádua (RJ) espera que sua história inspire outros deficientes físicos do país. Dona de três medalhas de ouro no Parapan de Toronto 2015, Camille teve a perna direita amputada aos dois anos de idade por conta de uma má formação congênita.

– O que eu posso dizer que uma das minhas metas de vida é tirar os deficientes de casa. A gente está crescendo. Hoje a gente tem Fernando Fernandes, Paola Antonini… São muitas pessoas que servem de referência para outras pessoas. Quando fiquei deficiente aos dois anos eu não tive referência. Eu não tinha internet que me ajudasse a ver outras pessoas fazendo coisas que eu não sabia que um deficiente era capaz de fazer. Quando estou ali dançando eu represento milhões – disse Camille.

A gravação da nova abertura do Fantástico foi o terceiro trabalho artístico da nadadora nos últimos meses. Em outubro do ano passado, Camille dançou no palco do Prêmio Multishow ao lado da cantora Anitta. Meses depois, foi a vez de Lucas Lucco convidar a atleta paralímpica para ser uma das estrelas do seu novo clipe.

Apesar de ter “estourado” apenas nos últimos meses, Camille vem chamando a atenção para a causa da deficiência física há pelo menos cinco anos. O perfil do Instagram da atleta já contabiliza mais de 245 mil seguidores. Os temas das postagens muitas vezes são vídeos da atleta dançando ou realizando alguma outra perfomance artística. No início da carreira, Camille chegou a arriscar-se no mundo da moda, participando de ensaios fotográficos e de desfiles.

– Sempre gostei muito de dança. Aprendi a dançar com as minhas primas. Participei de um grupo de dança em Pádua chamado Twister Dance, depois fiquei só no Youtube mesmo. A dança me ajudou muito na adolescência, foi graças a ela que a descobri quem eu era. Minhas redes sociais estão sempre crescendo por causa dos vídeos – contou.

Apesar da paixão pela dança e pelo mundo artístico, Camille tem na natação o seu meio de vida. A atleta começou a nadar logo após ficar deficiente para melhorar sua saúde. Muito rápida nas piscinas, Camille impressionou seus primeiros professores, que sugeriram que fosse para o alto rendimento. Em 2011, aos 19 anos, a nadadora já estava competindo nos Jogos Parapan-Americanos de Guadalajara. De lá para cá, ela esteve em eventos importantes como a Paralimpíada do Rio, em 2016, o Parapan de Toronto 2015 e os Mundiais de 2013 e 2017.

– A natação é tudo para mim. Desde que eu nasci a minha vida é aqui dentro da piscina. Foi graças a ela que eu consegui tudo o que conquistei. Meu sonho agora é chegar à final paralímpica em Tóquio 2020. No Rio, fiquei em 10º e por muito pouco não cheguei à final. Agora minha meta é ir bem nas próximas competições para alcançar o meu objetivo que é estar entre as melhores do mundo – concluiu Camille, que nada no Circuito Nacional neste fim de semana, em São Paulo.

Fonte: GloboEsporte.com

Cartola FC: Liga Oficial Vascaínos Unidos
Participe: Grupo de Debates no Facebook
Curta: Fan Page VU no Facebook
Seja Sócio Gigante. Confira os novos planos!

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠