Paulinho rouba a cena nos juniores do Vasco e comprova status de joia

Não é todo dia que um garoto de 16 anos faz o gol do título em um campeonato com atletas de até 20. Foi o que Paulinho conseguiu no domingo passado, na final da Taça Guanabara Sub-20. E, e se alguém ainda duvidava da promessa do Vasco, é melhor rever seus conceitos. Tratado como joia na Colina, ele abre caminho rumo aos profissionais em um futuro não tão distante.

Após o título sul-americano com a seleção sub-17, em março, foi puxado para os juniores, mesmo com idade para atuar mais um ano entre os juvenis. Paulinho fará 17 anos em julho e a tendência é que já em 2018 comece a ser testado com os profissionais.

– Não esperava subir tão rapidamente, mas não me surpreende, pois trabalho muito, sou focado nas minhas metas — afirmou, sem falsa modéstia: – Primeiro estou de olho no sub-20, mas lógico, tenho como objetivo uma chance no profissional.

Em dezembro de 2016 assinou o primeiro contrato profissional com o Vasco, de três anos. Em alta, começa a despertar a atenção, mesmo sem a badalação do contemporâneo Vinícius Júnior, do Flamengo, companheiro de seleção que ficou pelo caminho na Taça Guanabara, ofuscado pelo Vasco de Paulinho.

– Cada um defende seu clube. Quando jogamos juntos na seleção, temos um só objetivo, que é ser campeão. Individualmente, cada um tem sua meta – afirmou o vascaíno, ao ser questionado se era amigo do rubro-negro.

Logo que foi pincelado para os juniores, Paulinho virou titular. Tem feito gols importantes – além de ter garantido o título sobre o Fluminense, marcou em cima do São Paulo, no Morumbi, pela Copa do Brasil Sub-20 -, e só deixou a equipe quando sofreu lesão no tornozelo direito. Nesta quarta-feira, começará jogando contra o Vitória, no jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil.

O retorno ao time titular foi facilitado pelo fato de Mateus Vital ter sido convocado pelo técnico Milton Mendes para voltar a treinar entre os profissionais. O jogador passa por essas idas e vindas desde o fim de 2015 e muitas vezes os garotos da base acusam a pressão ao se juntarem ao elenco principal. Cercado de expectativa, Paulinho garante não sentir os efeitos da cobrança cada vez maior:

– Tenho os pés no chão, sei que o futebol tem altos e baixos, por isso trabalho forte todos os dias. Trabalho de forma tranquila para poder continuar meu processo de evolução. Estou tranquilo, não tenho pressa, pois o clube tem um planejamento para mim.

Fonte: Extra Online

== Escreva um comentário ==

Cartola FC: Liga Oficial Vascaínos Unidos
Participe: Grupo de Debates no Facebook
Curta: Fan Page VU no Facebook
Seja Sócio Torcedor Gigante. Confira os novos planos!