Ex-Vasco conta que foi disputado pelos 4 grandes do RJ: ‘Estava com um pé na Gávea’

O experiente Ernani já viveu uma situação sonhada por boa parte dos jogadores de equipes menores: foi cobiçado pelos quatro principais clubes do Rio de Janeiro. Após ser destaque do Americano no Campeonato Carioca de 2009, ele viu sua carreira mudar da noite para o dia.

“Tinha a opção de ir ao Flamengo, Vasco ou Botafogo. O Fluminense ainda apareceu depois”, disse o lateral-esquerdo, atualmente no Guarani, ao ESPN.com.br.

O atleta pertencia ao Iraty-PR, que o havia emprestado para o time de Campos de Goytacazes.

“Eu estava praticamente fechado com o Flamengo. Sendo que depois teve um contratempo por partes dos empresários, eu não soube o que aconteceu. Eu estava com um pé na Gávea, mas tudo mudou”, relatou.

Ernani acabou convencido por seu empresário à época, Sérgio Malucelli, que teria mais oportunidades de atuar no clube cruzmaltino. “O Vasco acabou levando a melhor depois porque o pessoal do Iraty tinha uma entrada muito boa com os dirigentes”, relata.

O lateral chegou ao time de São Januário que nem sequer havia avançado à segunda fase da Taça Guanabara.

O time foi goleado por 4 a 0 pelo Botafogo na semi da Taça Rio e ficou de fora do mata-mata do Campeonato Carioca.

Com o principal objetivo de voltar à elite brasileira, a diretoria esperava que reforços alterassem a situação da equipe.

O Vasco, porém, também não teve um bom começo de segunda divisão. Após três vitórias nas primeiras partidas, a equipe emplacou uma sequência de seis jogos sem triunfos, sendo que em quatro sequer balançou as redes.

“Eu fui muito bem recebido pelo [técnico] Dorival Jr. e o grupo. Formamos uma família. Nós vínhamos de muitos empates e sem ganhar, salários atrasados…”

Mesmo quando os bons resultados não apareciam, os jogadores permaneciam unidos. Até na hora da bronca…

“Eu era bem amigo do Dedé (hoje no Cruzeiro) desde aquela época. A gente tinha mania de colocar uma música na caixinha de som e ficar dançando. Um dia, estávamos lá dançando e brincando no vestiário. De repente, entra o Rodrigo Caetano, fica olhando para gente e fala: ‘É, o momento está muito bom para vocês estarem nessa alegria toda'”, lembrou enquanto dava risada.

“Não sabíamos aonde enfiar a cara. Eu respondi: ‘Mas vai melhorar, a gente não pode ficar triste, sei que é difícil. Se a gente abaixar a cabeça a coisa piora’. Daí ele veio e me abraçou e tudo melhorou. Depois disso, o time embalou”, recordou.

O Vasco sagraria-se campeão da Série B naquele ano com três rodadas de antecedência. Na partida que garantiu o acesso, mais de 81 mil pessoas lotaram o Maracanã na vitória contra o Juventude por 2 a 1, estabelecendo o recorde de público da história da divisão.

O ano seguinte, porém, não seria tão bom para Ernani. “Em 2010, tive lesões que me atrapalharam e isso tirou o momento bom que eu estava. Quebrei o pé e isso foi difícil. Tive pouca sequência e não consegui mostrar tanto meu futebol”, lamentou.

Mesmo com tudo isso, ele marcou seu único gol pelo Vasco naquela temporada.

“Eu sofri um acidente de carro que não passou de um susto. Logo depois que voltei, joguei contra o Botafogo e fiz o gol”, tento que garantiu o empate entre 1 a 1, no Campeonato Brasileiro.

“Foi o momento mais marcante para mim na carreira. Foi meu único (gol) com a camisa do Vasco”, lembrou.

Após a equipe carioca, Ernani foi em 2011 para o Vitória, passou por diversos times do Rio de Janeiro, Minas Gerais e Mato Grosso, dentre outros estados, e conheceu uma outra realidade.

“Saí (do Vasco) no final de 2010. Rodei muitos clubes depois disso. Durante a carreira passei por períodos curtos de desemprego entre os finais dos estaduais e começo do Brasileiro. Infelizmente, tenho muitos amigos que às vezes ficam o resto do ano todo sem clube. É a maior dificuldade do futebol brasileiro”, analisou.

Foi no gaúcho Ypiranga, em 2016, que o atleta voltou a viver dias felizes. Se destacou, foi contratado pelo Juventude e participou da campanha de acesso à Série B do Campeonato Brasileiro. Neste ano, Ernani foi para o Guarani, que joga a Série A 2 do Campeonato Paulista.

“O clube está muito bem e tem muita força e tradição no Brasil. Queremos esse acesso, estamos na briga. O grupo está bem focado. É o que mais queremos nesse momento para termos o clube em um patamar melhor”, conta feliz.

O time de Campinas ainda tem chances de se classificar entre os quatro primeiros que depois brigarão por duas vagas para elite paulista.

Faltando duas rodadas, a equipe ainda enfrentará o Barretos e o Batatais.

Já o Vasco, clube pelo qual Ernani viveu seu melhor momento, se prepara para encarar o Botafogo, no próximo domingo, na final da Taça Rio.

Fonte: ESPN

== Escreva um comentário ==

Cartola FC: Liga Oficial Vascaínos Unidos
Participe: Grupo de Debates no Facebook
Curta: Fan Page VU no Facebook
Seja Sócio Torcedor Gigante. Confira os novos planos!