Reviravolta na Liga Ouro motiva para recuperação contra o Pinheiros: “Aqui é Vasco”

A volta do Vasco à elite do basquete brasileiro teve contornos de sofrimento e superação. O Cruz-Maltino perdeu os dois primeiros jogos do playoff decisivo contra Campo Mourão, ambos fora de casa, e numa reviravolta venceu os três duelos seguintes, inclusive um na gelada cidade paranaense, conquistando a Liga Ouro e o direito de jogar o Novo Basquete Brasil nesta temporada. O feito conseguido em junho do ano passado serve agora de inspiração e motivação para a sequência do NBB. Derrotado por 83 a 74 no jogo 1 dos playoffs oitavas de final para o Pinheiros, o Vasco precisa se reinventar e reverter a vantagem do rival para ir às quartas de final e encarar o Flamengo, já classificado.

Os ensinamentos daquelas semanas, garantem os jogadores, serão primoridias para os próximos dias do Vasco. O último quarto do jogo em São Januário, na derrota para o Pinheiros, nesta terça-feira, já foram uma amostra do que está por vir. Perdendo por 20 pontos, o Cruz-Maltino conseguiu trazer a desvantagem para 77 a 73, não se entregando por um segundo. Arremessos decisivos que não caíram, porém, pesaram a favor dos paulistas. Cestinha do jogo, o ala Gaúcho espera esse espírito em quadra em São Paulo na sexta-feira, às 21h30, no jogo 2 no Ginásio Henrique Villaboim.

– Aqui é Vasco. Nunca vamos desistir, em nenhum momento. Foi só um revés. Para passar para a próxima fase são três vitórias. O Pinheiros tem uma. Temos totais condições de ir em São Paulo e vencer duas, revertendo a vantagem para a gente. O time é experiente, vamos focados para buscar as duas vitórias – garantiu o ala Gaúcho.

Armador que também estava presente na epopeia da Liga Ouro, Hélio lembra que o Vasco tem jogado melhor fora de casa do que em São Januário. Foi assim na semana passada, quando a equipe venceu justamente o Pinheiros, por boa margem, terminando a primeira fase do NBB em nono lugar.

– Temos que zerar. Playoff é isso mesmo. Todo mundo já passou por isso. Reverter situações. Por incrível que pareça o time tem jogado melhor fora do que dentro de casa. Está aberto. Sabemos do que podemos fazer, o que podemos buscar. Buscamos 20 pontos de forma rápida. Não vamos jogar a toalha. É hora de superação. Não tem nada perdido. Lógico que dificulta, não é confortável, mas não tem nada perdido. Vamos buscar duas vitórias lá para voltar e decidir em casa – disse Hélio.

Do outro lado, o pivô Renan, do Pinheiros, destacou que o time paulista precisa ter mais maturidade quando tiver a vantagem no placar. Isso aconteceu por duas vezes em São Januário e a equipe quase deixou a vitória escapar no período final.

– Acho que precisamos controlar melhor o jogo. Quando conseguimos passar eles no placar e abrir uma vantagem, precisamos saber controlar. Fizemos isso duas vezes no jogo 1 e eles conseguiram buscar. Então, temos que ter mais maturidade para se abrir, quando abrir, segurar a bola e jogar o nosso jogo, sem dar chance deles voltarem para a partida – explica Renan.

A partida 3, obrigatória para a série melhor de 5, também será na capital paulista, no domingo, às 16h. Ambas acontecem no Ginásio Poliesportivo Henrique Villaboim, na sede do Pinheiros. Se o Pinheiros vencer essas duas partidas com mando de quadra, abre 3 a 0 e avança. Já o Vasco vai precisar vencer dois jogos fora de casa para conseguir ir às quartas.

Fonte: GloboEsporte.com

== Escreva um comentário ==

Cartola FC: Liga Oficial Vascaínos Unidos
Participe: Grupo de Debates no Facebook
Curta: Fan Page VU no Facebook
Seja Sócio Torcedor Gigante. Confira os novos planos!