Com pênalti polêmico, Vasco vence o Bonsucesso por 1 a 0 no Engenhão


Gilberto comemora gol do Vasco contra o Bonsucesso (Foto: Marcelo Sadio / Vasco.com.br)

 

 

Seria um resultado amargo para o Vasco. Não que a equipe de Doriva tenha feito uma grande partida técnica contra o Bonsucesso, mas os números cruz-maltinos foram muito superiores: 76% de posse de bola e 19 finalizações, contra três do adversário. Até os acréscimos da partida, os times mantinham o placar desanimador para a tarde de domingo: 0 a 0. Mas, em lance polêmico a favor dos jogadores de São Januário, o árbitro assinalou pênalti aos 48 minutos. Gilberto, protagonista de algumas chances claras durante o confronto, não desperdiçou. O primeiro dele com a camisa vascaína.

Com o resultado, o Vasco assumiu a liderança do Campeonato Carioca, com 20 pontos. O público presente no Engenhão foi pequeno: 5.668 pessoas (4.658 pagantes), com uma renda de R$ 148.570. Na quinta-feira, o Cruz-Maltino recebe o Resende em São Januário, às 19h30 (de Brasília). Já o Bonsucesso, na 14ª colocação, enfrenta o Tricolor, no mesmo dia, no Maracanã.

Superioridade numérica do Vasco

Os números fizeram parecer que o Vasco teve uma grande atuação no primeiro tempo: 75% de posse de bola e oito finalizações – o Bonsucesso teve uma apenas. A equipe, porém, não conseguiu converter tal superioridade em chances claras de gol. Apesar de permanecer no campo de ataque durante quase toda a etapa inicial, o time de Doriva encontrou dificuldades na hora do arremate das jogadas. Responsável pela criação, Marcinho demorou para se encontrar. Conseguiu, aos 43, um cruzamento para o cabeceio de Rodrigo, por cima do gol – uma das principais jogadas cruz-maltinas. Antes, Gilberto arriscou de longe e tentou alguns lances, sem sucesso.

Doriva voltou para o segundo tempo com uma mudança: saiu Rafael Silva, entrou Montoya. O nível técnico da partida não melhorou, mas o Vasco teve mais oportunidades claras do que na primeira etapa. Logo no início, Madson acertou lançamento, e Gilberto mergulhou em grande estilo para cabecear. Preto defendeu. O atacante tentou novamente, desta vez com um chute cruzado, e o goleiro do Bonsucesso fez outra grande defesa. Luan confirmou a proposta de jogo vascaína – pelo alto – ao finalizar de cabeça, para fora.

Chances aumentam, e juiz marca pênalti nos acréscimos

Thalles foi para o jogo, Bernardo também. O atacante da seleção brasileira sub-20 desperdiçou chance clara a 10 minutos do fim, quando recebeu com liberdade e finalizou mal, facilitando a defesa de Preto. Do lado adversário, chance alguma. Restou ao Bonsucesso tentar os raros contra-ataques em velocidade. Em  um deles, Pitbull parou em Martín Silva. A pressão do Vasco continuou e, aos 42, Montoya protagonizou o lance mais bonito da partida. Dentro da grande área, o colombiano pegou a sobra e emendou um belo voleio. A bola raspou no travessão.

Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura. Não foi bem assim, mas a expressão pode definir o desfecho da história deste confronto. Já nos acréscimos, a bola bateu no braço de Fernando, irmão do jogador Carlos Alberto, e o árbitro assinalou o pênalti. A marcação foi polêmica, já que o volante estava atrás de Thalles e não teve tempo de reagir após o cruzamento. Gilberto assumiu a responsabilidade e não desperdiçou: bola para um lado, Preto para o outro. O primeiro do atacante com a camisa do Vasco. Depois, só restou correr para o abraço e comemorar a vitória.

Fonte: GloboEsporte.com

Cartola FC: Liga Oficial Vascaínos Unidos
Participe: Grupo de Debates no Facebook
Curta: Fan Page VU no Facebook
Seja Sócio Gigante. Confira os novos planos!

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠