Fellipe Bastos segue rotina de vaias e ganha conselhos de Adilson


A rotina é sempre a mesma: jogo do Vasco, vaias para Fellipe Bastos. Pode ser em São Januário, em Macaé, no Maracanã ou em Volta Redonda. Depois de ser emprestado em 2013 para a Ponte Preta e conseguir boas atuações na campanha que levou o time de Campinas à final da Copa Sul-Americana, o volante voltou no início da temporada e ainda não conseguiu reescrever sua história com os vascaínos. Tanto que foi vaiado em todos os jogos do Campeonato Carioca até agora. Contra o Volta Redonda, na última quarta, as hostilidades começaram antes mesmo dos dez minutos de bola rolando – pouco depois de o Volta Redonda abrir o placar.
 

Fellipe começou o jogo inseguro. A cada passe errado, as vaias ressurgiam com mais força. Em sua única chance no primeiro tempo, foi travado na hora do chute. Na etapa final, chegou até a balançar a rede. Mas, quando a fase não é boa, nada dá certo. O lance já estava parado por falta de Thalles após a cobrança de escanteio.

Nem mesmo as cobranças de falta, sua principal especialidade, têm ajudado. Um dos principais cobradores do time, ele ainda não conseguiu levar perigo nas cobranças direto. É um desempenho muito diferente do apresentado na Ponte Preta no ano passado. Na Macaca, marcou alguns gols dessa forma. Um deles, na primeira partida da decisão da Sul-Americana, contra o Lanús, no Pacaembu. Toda a situação vem sendo tratada com cautela pela comissão técnica do Vasco. Adilson Batista, aliás, vem conversando com o jogador e deu até algumas dicas para driblar o momento conturbado.

 – Já conversei com ele sobre isso (perseguição da torcida). Não precisa mostrar, nem provar nada para mim. Principalmente para mim. Acompanhei o trabalho do Fellipe na Ponte Preta. Ele sabe jogar futebol. Tem é que fazer a bola andar, dar velocidade, simplificar às vezes. Temos conversado sobre isso – frisou o treinador.

A via crucis do volante começou logo na estreia no Carioca, quando perdeu um pênalti no empate por 1 a 1 com o Boavista, em São Januário. Foi vaiado. Nessa quarta-feira, ele desabafou após a partida:

– Acho que há uma implicância comigo, sim. A torcida está no direito dela, mas eu sou mais cobrado do que os outros. Eu tenho o direito de acertar e errar, mas, quando erro, parece que a reação é maior.

Depois da vitória por 2 a 1 sobre o Volta Redonda (veja os melhores momentos no vídeo acima), o Vasco vai seguir no Sul Fluminense se preparando para a próxima rodada do estadual. Volta a campo no domingo para enfrentar o Nova Iguaçu, às 17h (de Brasília), novamente no Raulino de Oliveira. Mais uma chance para Fellipe Bastos, enfim, tentar agradar os vascaínos.

Fonte: GloboEsporte.com

Cartola FC: Liga Oficial Vascaínos Unidos
Participe: Grupo de Debates no Facebook
Curta: Fan Page VU no Facebook
Seja Sócio Gigante. Confira os novos planos!

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠