Vascaínos já têm 11 ações contra CBF


Torcedor do Vasco, durante briga em Joinville
 
Torcedores do Vasco também se mobilizam contra a CBF na Justiça Comum. Já são 11 ações em cinco estados, a maior parte delas organizada pelo advogado João Gilberto Demercian Filho. Vascaíno, conhecido no meio do futebol e que tem no currículo uma sociedade com o ex-verador acusado de chefiar uma das mais antigas milícias do Rio de Janeiro, Josinaldo Francisco da Cruz, o Nadinho de Rio das Pedras, assassinado em 2009.

Para auxiliar os torcedores, o advogado montou uma página na internet que contém um modelo da ação que deve ser ingressada. Ele orienta os vascaínos a entrarem no Juizado Especial Cível – instância que não requer contratação de advogado – e colocarem como réus as federações de futebol do Paraná e de Santa Catarina, o Clube Atlético Paranaense, além da CBF.

O pedido também é diferente das ações movidas por torcedores de Flamengo, Portuguesa e Fluminense. Nestas, a motivação é a condenação por danos morais, dos envolvidos na pancadaria ocorrida em Joinville.

“Acho que o torcedor não tem legitimidade para pedir a anulação da decisão do STJD. Por isso, movemos ações para que prestem contas do que aconteceu”, explica Demercian, que afirma ter inspirado ações no Rio, Espírito Santo, Santa Catarina, Paraná e Mato Grosso.

Semeando cidadania

A sociedade que o advogado ainda tem com o miliciano assassinado é no projeto de futebol Semeando Cidadania Futebol Clube. Sediado em Jaracarepagua, Zona Oeste do Rio e reduto eleitoral do ex-vereador, o time chegou a disputar a terceira divisão do Campeonato Carioca, em 2006. O assassinato do miliciano levou ao fim das atividades do Semeando, mas a sociedade ainda não foi extinta formalmente.

“Para mim, ele nunca foi miliciano. Tudo não passou de notícia de jornal. Conheci o Nadinho como vereador”, diz o advogado.

Nadinho foi acusado da morte de pelo menos três pessoas e citado em inúmeros trechos da CPI das Milícias, na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro. Chegou a ser preso e morreu antes do fim de processos em que foi denunciado pelos crimes de homicídio e atividade de milícia. Sua fama no mundo do crime inspirou o personagem de Antônio Fagundes, o Juvenal Antena, na Favela da Portelinha, retratada na novela “Duas Caras”, da “TV Globo”.

“O futebol no Brasil é uma vergonha. Precisamos aumentar este movimento”, afirma o advogado.

Fonte: ESPN

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠