Rodrigo Caetano: 'É importante que os novos jogadores sintam a força do Vasco'


Só Dá Vasco (Oficial) 
RODRIGO CAETANO FALA SOBRE RETORNO, TIME E REFORÇOS PARA O VASCO! 
Contratado no início do ano, o diretor-executivo Rodrigo Caetano participou na noite desta segunda-feira (13/01) do programa “Só dá Vasco”. Na oportunidade, o dirigente falou sobre o seu retorno e analisou a força do atual elenco do Gigante da Colina. 
 
Confira a transcrição da entrevista: 
 
> Retorno ao Vasco: 
 
“Estou muito feliz com o retorno. Muitas pessoas pediram o meu retorno e isso aumenta a minha responsabilidade. Uma das coisas que me fizeram para retornar a o Vasco foram as manifestações vascaínas que eu recebi durante os anos que estive fora. É fácil você recebe elogios quando está no grupo, mas quando você está fora, ainda mais num rival, é muito complicado. Muitos torcedores me paravam e pediam para eu voltar ao Vasco. Tudo isso ficou na memória e me ajudou a aceitar a proposta do Vasco da Gama”. 
 
> Oportunidade de trabalhar com Mauro Galvão: 
 
“O Mauro Galvão já estive com ele duas vezes desde que cheguei. É um ídolo no clube e temos que preservar os ídolos no futebol. Ele tem capacidade e vem fazendo um bom trabalho”. 
 
> Identificação com o Vasco: 
 
“O profissional se identifica sempre com algum clube. Comigo e o Vasco não foi diferente. Aparecei no futebol graças ao Vasco. Tive alguns problemas no clube, mas nunca deixei de me dedicar e trabalhar. Eu tenho que agradecer aos conselheiros que sempre me ligaram quando eu estava fora do Vasco. Eles nunca me viram como uma pessoa de fora. Agradeço a toda direção pelo retorno. Espero retribuir com muito comprometimento, com muito trabalho e muita lealdade ao clube. Temos hoje grandes profissionais no clube. Vamos tentar fazer um bom trabalho e levar o Vasco a grande conquistas novamente”. 
 
> Amizade com Cristiano Koehler: 
 
“O Cristiano vem trabalhando bem. Ele contribuiu muito para o que colhemos em 2011. Além de ser meu amigo, ele é um bom profissional. Viramos amigos dentro do Grêmio. Ele é um dos melhores profissionais do Brasil. O Vasco está muito bem servido. Essa amizade vai facilitar o meu trabalho e o meu também. Ele agora vai focar apenas no que deseja desenvolver em 2014 no que diz respeito ao planejamento. E eu vou fazer a minha parte, que é a de administrar o futebol. Sempre lembrando que é preciso ter conversa. Nós somos representantes dos conselheiros, que são representantes dos associados do clube. Nós profissionais vamos ter muito comprometimento. Estamos todos comprometidos com o clube”. 
 
> Importância do diretor-executivo 
 
“É claro que por questão de ética não posso falar dos trabalhos anteriores. Posso dizer que desde o dia que fui convidado eu entrei no trabalho. Eu sempre acompanhava de casa as coisas. O combinado foi marcar presença fisicamente. Eu fiz de tudo para ir para Pinheiral junto com a comissão técnica e o elenco. É importante essa convivência para estreitar relação e também estabelecer as normas do ano. Tudo que é combinado anteriormente facilita no decorrer da temporada. Não vamos fazer com que esses problemas externos prejudiquem o trabalho dentro de campo. Os jogadores já sabem a maneira que vamos trabalhar. Toda e qualquer tipo de sugestão tem que ficar no ambiente interno. Temos que ter cuidado para não arranhar a imagem do Vasco. Isso que aconteceu no Vasco acontece em todos os clubes, mas ficou muito grande no Vasco Isso prejudica o clube em vários aspectos, inclusive no que diz respeito aos reforços”. 
 
> Montagem do elenco: 
 
“Na verdade o nós tivemos que tomar algumas atitudes por conta das nossas condições financeiras. Alguns jogadores que estão treinando em separado possuem uma trajetória vencedora, mas o clube possui suas necessidades e vamos tentar realocar os jogadores que não estão nos planos. Tivemos que suprir as carências do elenco e acredito que tivemos êxito nesse primeiro momento. Procuramos ajustar o time começando pela parte de trás. Trouxemos o Martin, o André, o Marlon, o Renan e o Rodrigo, que fez uma excelente temporada pelo Goiás. O Martin Silva dispensa comentários. Os laterais tiveram um bom desempenho nas competições nacionais do ano passado. O Diego Renan está voltando de lesão, mas é uma grande promessa do Campeonato Brasileiro. Trouxemos o Aranda, que foi vice-campeão da Libertadores. Na frente trouxemos o Éverton Costa, que é um jogador de muita velocidade na frente. Renovamos com os jogadores que se destacaram na última temporada, casos do Pedro, do Edmílson e do Dakson. Também conseguimos renovar com o Juninho, que possui uma importância muito grande para o clube. Tentamos montar o time junto com aqueles que ficaram, casos do Guiñazu, do Rafael Vaz e do Thalles. Estamos mesclando juventude com experiência. Trouxemos de volta o Fellipe Bastos e o Barbio, que receberam muitas propostas. É importante que o torcedor confie nos jogadores. Não vai faltar comprometimento, garra e determinação no Campeonato Carioca”. 
 
> Regularização dos jogadores: 
 
“Estamos tentando regularizar a situação do Aranda e do Martin para o jogo de sábado,
mas é difícil. Transferência internacional é complicada de fazer. Tudo que o Vasco poderia ter feito em termos de documentação já fez. Não é fácil, mas vamos tentar. Os demais acreditamos que estarão liberados até sábado. Caberá a comissão técnica escolher os melhores para atuar no jogo de sábado. O primeiro jogo vale muito. O Vasco vai tentar brigar por esse título estadual”. 
 
> Contratação de um meia e de um atacante: 
 
“Precisamos de mais um meia, mas temos ainda o Montoya. Também precisamos de atacante, mas não podemos deixar de dizer que temos o Thalles, que possui 17 anos e um talento muito grande. Hoje é difícil encontrar um jogador com essas características no mercado. Aquele que tem não se desfaz. Iremos aguardar o mercado. Estaremos atentos ao mercado, mas estamos contentes com o nosso time atual. Nosso time já é forte defensivamente e vai lutar por cada bola. Mais para frente iremos melhorar a qualidade do elenco. Iremos fazer contratações cirúrgicas”. 
 
> Mensagem para o torcedor do Vasco: 
 
“O torcedor ainda está um pouco magoado, decepcionado, mas já é um ano novo e temos que criar novas expectativas. Eu já passei por isso em 2009 e conseguimos juntos, torcida, diretoria e funcionários, reverter isso. Independente de grupo político, todos são vascaínos e querem o bem do Vasco. É importante que os novos jogadores sintam a força do Vasco. São Januário é nossa casa e o Vasco precisa se aproveitar do fato de ter um estádio. São Januário tem que ser o nosso diferencial. O torcedor tem que entender que os jogadores precisam dessa confiança. Todos nós estamos trabalhando com dificuldade, mas o nível de comprometimento com o clube será o máximo”. 
 
Fonte: Facebook Só Dá Vasco

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠