Justiça de Mato Grosso recusa pedido de liminar de vascaíno contra a CBF


Depois de torcedores acionarem a Justiça comum para defender Portuguesa e Flamengo, agora foi a vez do vascaíno Dante Martins Miraglia Lima, de Mato Grosso, mover uma ação contra a Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Mas o juiz da sexta vara cível de Cuiabá, Aristeu Dias Batista Vilella, alegou que argumentos são insuficientes e indeferiu o pedido de liminar que solicitava a suspensão do resultado da partida Atlético-PR 5 x 1 Vasco, realizada no último dia 8 de dezembro, em Joinville (SC), pela última rodada da Série A do Brasileiro, e que culminou no rebaixamento cruz-maltino. A decisão foi publicada no site do Tribunal de Justiça do Mato Grosso.

– Verifica-se que o pedido formulado pelo autor em sede de antecipação de tutela não pode prosperar em cognição sumária, pois os argumentos esposados na peça vestibular, bem como nos documentos coligidos ao feito, não demonstram a ocorrência dos pressupostos necessários para sua concessão – escreveu o juiz na sentença.

Confusão briga Torcidas Atlético-PR x Vasco (Foto: Pedro Kirilos/Agência O Globo)
Amparado pelo Estatuto do Torcedor, o torcedor argumentou que a organização do evento teria falhado na prestação de segurança no local e o Vasco foi prejudicado, já que a briga entre as duas torcidas no estádio abalou emocionalmente os jogadores. Além disso, a partida ficou suspensa por aproximadamente 73 minutos, enquanto o regulamento geral de competições da CBF impõe paralisações somente por uma hora.

Torcedores tiveram êxito a favor de Portuguesa e Flamengo

Diferente do torcedor vascaíno, Daniel Neves e Luiz Paulo Pieruccetti Marques obtiveram sucesso nos pedidos de liminares na 42ª vara cível de São Paulo, com o juiz Marcello do Amaral Perino. Eles alegaram o desrespeito ao Estatuto do Torcedor, que obriga a CBF e o STJD a publicar suas decisões – como a suspensão de atletas.

Fonte: GloboEsporte.com

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠