Feminino: Confira entrevista com Luí Toledo, preparador-físico da equipe Sub-17


O ano de 2013 foi excelente para a categoria sub-17 do futebol feminino do Vasco da Gama devido a dedicação e entrega de alguns profissionais. Além de Anthony Menezes, treinador da categoria, seu fiel escudeiro, o preparador físico Luí Toledo, também foi fundamental para que a temporada, que tinha tudo para ser catastrófica após a saída de algumas jogadoras importantes, se tornasse inesquecível e terminasse de forma brilhante. 

No Vasco desde 2012, Luí reservou alguns minutos de suas merecidas férias para conceder uma entrevista exclusiva ao programa “Só dá Vasco”. Na oportunidade, o preparador contou detalhes de sua trajetória no futebol, revelou o motivo que o levou a trabalhar com o futebol feminino e analisou a temporada perfeita das Meninas do Sub-17. 

Confira a entrevista exclusiva com Luí Toledo, preparador físico do Sub-17: 

Fala um pouco sobre tua trajetória profissional. Por qual motivo resolveu trabalhar com futebol? 

“Futebol sempre foi uma paixão pra mim. Desde moleque sempre joguei bola, até tentei me profissionalizar aos 14 anos de idade no Madureira Esporte Clube, mas sem êxito. Vi que era melhor estudar. Em 2009 terminei a faculdade de Educação Física sempre visando trabalhar com futebol. Comecei a vida profissional dando aulas em academias, trabalhando com musculação e como personal trainer. Foi o que me fez adquirir grande experiência na área de treinamento de força, que é imprescindível na preparação física dos atletas. Em 2011 ingressei na pós-graduação em fisiologia do exercício, que terá o termino em fevereiro de 2014. Em 2013, comecei outra especialização, esta em futebol na UFRJ. Minha experiência com o futebol foi dando aulas também em escolinhas perto da minha casa e participando de congressos da área”. 

Quando entrou o Futebol Feminino na tua vida? Quando surgiu o convite no Vasco? 

“Em 2012 estava muito chateado por não conseguir ter uma oportunidade de trabalhar com futebol. Tive portas fechadas no Bangu e no Madureira. Se eu não conseguisse trabalhar na área, a faculdade para mim não iria servir de nada. Estava muito infeliz trabalhando em academias. No mesmo ano cheguei a fazer uma pré-matricula no curso de administração com a mesma intenção de trabalhar com futebol. No final do ano, Deus colocou uma pessoa maravilhosa no meu caminho com a intenção de me ajudar. Armando Gabriel, conselheiro do Vasco, amigo do vice presidente do infanto-juvenil Tadeu Correia e diretor de futebol feminino. Nunca tinha imaginado trabalhar com futebol feminino, mas com certeza neste dia em que fui apresentado ao diretor foi um dos dias mas felizes da minha vida. Em outubro do mesmo ano, mês do meu aniversário, eu ganhava de presente uma oportunidade no futebol feminino no Club de Regatas Vasco da Gama. As coisas aconteceram rápido demais. Em março deste ano fui contratado para estar à frente da preparação física da equipe sub-17, um grande desafio, pois a mesmo equipe acabara de ganhar o campeonato mundial da categoria em Estoril, Portugal”. 

Como tem sido sua trajetória no Vasco até agora? Quais títulos você conquistou e por quais categorias você passou? 

“De muitos títulos, graças a Deus. Logo quando entrei, o técnico Gláucio Carvalho e o preparador físico Paulo Neves estavam em preparação para o campeonato carioca sub-17. Tive a oportunidade de ajudar na preparação da equipe, que naquele ano conquistou o bi-campeonato da categoria, invicto. Já este ano, com o técnico Anthony Menezes, começamos a preparação da equipe para a disputa da Copa Nova Iguaçu sub-17. Foi um pouco tumultuada no começo, mas tudo deu certo. Chegamos à final contra o Botafogo, um jogo muito difícil, tomamos um gol no primeiro tempo, mas conseguimos virar o jogo para 4 a 1. Fomos campeões invictos novamente. Depois algumas meninas do sub-17 subiram para disputa do mesmo campeonato, só que agora na categoria adulta. Fiquei auxiliando o preparador físico Paulo Neves até o fim do campeonato e nos consagramos campeões. Fiquei nessa função até o final do carioca adulto, quando terminamos na terceira posição do campeonato como Lusitânia. Em seguida, começamos a preparação para o carioca sub-17. Foi um torneio muito rápido e chegamos à final novamente contra o Botafogo. Não deu para elas! Conseguimos o tricampeonato carioca invictos. O ano não acabar
a por aí. Tínhamos ainda o mais importante campeonato do ano, esta em nível nacional. No dia 14 de dezembro viajamos para Aracaju,SE para a disputa da Copa do Brasil escolar sub-17.O colégio Vasco da Gama tinha o grande desafio de representar o Rio de Janeiro no campeonato. Caímos em uma chave muito difícil com as equipes de São Paulo (1-0), Goias(1-0) e Santa Catarina(1-1). Foram jogos muito intensos todos os dias, mas conseguimos nos classificar. Na semifinal encaramos a equipe de Minas Gerais e novamente o placar de 1-0. Com mérito chegamos à final. Um jogo muito truncado, tínhamos a posse de bola maior, mas não conseguíamos converter em gol assim indo para as penalidades. Tínhamos a certeza do bom trabalho feito ao longo do ano que por conta disso Deus iria nos recompensar. E novamente deu tudo certo. Campeão nacional invicto. O departamento de futebol feminino possui uma equipe de profissionais multidisciplinar. Todos ajudam nas categorias o técnico da sub-17 e auxiliam na adulta. Não temos um profissional trabalhando somente em uma categoria”. 


A categoria sub-17 teve um excelente ano. Vocês esperavam alcançar esse sucesso mesmo tendo perdidas atletas importantes, como a Brena? Chegaram a temer pelo pior após a saída dela? 

“Realmente foi uma grande perda não termos a Brena em nosso grupo. Ela estava desde menina no Vasco, mas por conta de alguns problemas nós a perdemos para o nosso rival Botafogo. Sabíamos que tínhamos um ótimo grupo e que com trabalho e dedicação iríamos suprir a sua ausência. E foi o que aconteceu,. Formamos um bom meio de campo e graças a Deus ganhamos tudo o que disputamos”. 


Como é sua relação com o Anthony e os demais membros da comissão? 

“A melhor possível. Tive o primeiro contato com ele na final do carioca do ano passado após a saída do preparador físico da equipe sub-15, Eu e ele assumimos juntos a equipe sub-17. Posso dizer que estamos aprendendo um com o outro a cada dia e cada treino fazemos esse vínculo ficar mais forte. Hoje eu o tenho como meu amigo, parceiro. O Vasco me trouxe novas amizades. Não poderia deixar de mencionar o preparador físico Paulo Neves ou simplesmente Paulinho. Ele foi quem praticamente me acolheu no departamento. Aprendi e aprendo muitas coisas com ele. Hoje trocamos “figurinhas” com relação ao treinamento físico desportivo. Todos que estão no lá possuem uma parcela no meu crescimento profissional”. 

Como é para você, que é assumidamente vascaíno, ser campeão pelo clube? 

“É impossível gostar mais do Vasco do que antes quando eu não era funcionário. Sempre fui um torcedor fanático. Deus me deu essa oportunidade de trabalhar lá e eu vou ser grato por toda minha vida. Ser campeão pelo Vasco é algo indescritível. Por mais que eu seja vascaíno, nunca tinha pensado em passar por isso tudo em um ano de Vasco. Não poderia deixar de agradecer a minha família por me dar todo o suporte para eu trabalhar no meu clube de coração. Tenho muito orgulho de colocar uma camisa do Vasco para trabalhar todos os dias. Agradeço a todos que me deram essa oportunidade”. 


O que você poderia falar sobre as duas últimas conquistas? 

“O carioca e o brasileiro vão ficar gravados para o resto da minha vida. Foi o início de tudo, da minha vida profissional no futebol. Vou me lembrar de cada menina, de cada brincadeira e de cada momento. Além das lembranças, temos as medalhas e os vídeos. Isso tudo vou ver incansavelmente”. 


O que esperar de 2014? 

“Mais títulos. Trabalho e dedicação não faltarão de minha parte. Torço muito para o crescimento do futebol feminino. Este ano já tivemos grandes incentivos para a modalidade, que só tem a crescer. Peço também total empenho das meninas para este ano. Uma frase maravilhosa que a harmonia do GRES Império Serrano tem como fonte de inspiração pode ser lembrada: juntos somos fortes”. 


Que mensagem você deixa para o torcedor? 

“Todos nós temos que nos unir neste momento complicado. Vascaíno que é vascaíno está com o time onde ele estiver. Peço que todos acompanhem o futebol feminino e que nos ajudem incentivando, apoiando e seguindo nossa página na internet. O futebol feminino do Vasco só tem a crescer. O sentimento não pode parar”. 


Fonte: Blog Futebol Feminino do Vasco

Cartola FC: Liga Oficial Vascaínos Unidos
Participe: Grupo de Debates no Facebook
Curta: Fan Page VU no Facebook
Seja Sócio Gigante. Confira os novos planos!

✠ ✠ ✠ Escreva um comentário ✠ ✠ ✠