Da ”pixotada” à Copa? Yotún se reinventa como meia após passagem pelo Vasco

É difícil encontrar um torcedor vascaíno que tenha guardado lembranças boas de Yoshimar Yotún. Sua passagem por São Januário, em 2013, aconteceu em um ano ruim para o clube e proporcionou momentos complicados em sua carreira. Quatro anos depois, o jogador do Orlando City (EUA) está perto de disputar uma Copa do Mundo.

Na seleção peruana de Ricardo Gareca, Yotún é visto como um jogador multifuncional – e importante – que encontrou o seu lugar ideal atuando no meio-campo. Desde o jogo contra o Equador pelas eliminatórias, em setembro, vem atuando na posição. Seu próximo desafio será na repescagem, diante da Nova Zelândia, na madrugada desta quinta-feira.

– Yoshi talvez tenha pensado que seguiria como lateral aplicado durante toda sua vida. De fato, foi assim que jogou durante muitos anos. Com a chegada de Ricardo Gareca, toda a seleção peruana mudou radicalmente. O técnico, desde o primeiro momento que viu Yotún com a bola nos pés, decidiu que ele viraria meia – disse Renzo Galiano Sedán, jornalista do Deporte Total, do jornal El Comercio do Peru.

No Vasco, ”pixotada” marcante no ano do rebaixamento

Os elogios vão de encontro à boa parte das impressões deixadas pelo jogador durante sua passagem pelo futebol carioca. A temporada para esquecer foi em 2013, ano em que o Vasco terminou rebaixado para a segunda divisão.

Apesar de conseguir provar sua capacidade com a bola, se mostrava fraco na marcação para um lateral. Com isso, não se firmava entre titulares. Ganhava e perdia chances constantemente – assim como a confiança. Ao seu lado, também não tinha um time consistente e sucumbiu junto com os companheiros.

Lance emblemático durante sua passagem pelo Vasco (Foto: reprodução)

Lance emblemático durante sua passagem pelo Vasco (Foto: reprodução)

Uma imagem emblemática marcou o ex-lateral em sua passagem pelo Cruz-Maltino. Em um jogo diante do Corinthians, em Brasília, o peruano se enrolou em uma saída de jogo simples e quase perdeu a bola. Na tentativa da recuperação, ainda bateu cabeça com o companheiro Abuda em uma pixotada que se tornaria emblemática – de forma negativa – para sua trajetória curta em São Januário.

Mas o que mudou?

No Peru, o olhar de Gareca com o jogador foi considerado crucial para torná-lo importante na engrenagem da equipe que busca uma vaga na Copa da Rússia. Durante a campanha das eliminatórias, foi autor de cinco assistências chaves para a equipe e é apontado como peça importante na saída de bola, se posicionando bem ao lado da dupla dos volantes da equipe.

Torcedores comentam ''evolução'' do jogador nas redes sociais (Foto: Reprodução)

Torcedores comentam ”evolução” do jogador nas redes sociais (Foto: Reprodução)

Na madrugada de quarta-feira para quinta, será disputado o último capítulo da saga peruana rumo ao Mundial da Rússia. Pela repescagem da Copa, a equipe recebe a Nova Zelândia, no Estádio Nacional de Lima. O jogo será à 0h15, de Brasília. Qualquer vitória simples garante a classificação. No primeiro jogo, empate por 0 a 0.

Fonte: GloboEsporte.com

Participe do nosso grupo de debates no facebook
Curta nossa fan page no facebook