“Bem à vontade” de volante, Gilberto se espelha em jogador da Seleção

Não foi o resultado que os mais de 16 mil pagantes esperavam ver. Ainda assim, o empate em 1 a 1 contra o São Paulo não foi o pior placar, já que Botafogo e Flamengo perderam e não se distanciaram. Mesmo com a igualdade no placar, havia algo pouco comum em campo: o lateral Gilberto estava jogando novamente como volante com Zé Ricardo.

A primeira experiência do treinador com o lateral de volante foi na partida contra o Corinthians, em que Gilberto saiu machucado no início do jogo e tinha deixado boa impressão – mesmo que breve – na torcida naquela que foi a última derrota do Vasco. Contra o Tricolor paulista, porém, ele não foi tão bem, irritou um pouco os torcedores e saiu no intervalo, com o Vasco precisando do resultado. Apesar disso, o substituto de Wellington gostou do que fez.

– Me sinto bem à vontade jogando no meio. O Zé Ricardo confia muito em mim, já é a segunda vez que ele me escala ali. É muito importante, hoje em dia, o jogador saber fazer mais de uma função. Consigo fazer as laterais, ala e meio. Isso é muito importante para a minha carreira. O jogador versátil acaba ajudando bastante. Ontem consegui fazer bem a função tática, que era diminuir e neutralizar as jogadas do Hernanes. Infelizmente, não saímos com a vitória. Mas estou à disposição do Zé Ricardo para jogar onde ele preferir. Quero ajudar o Vasco – disse o jogador, que já atuou no meio de campo na Itália, mas na posição de ala.

A principal inspiração de Gilberto para ir bem no meio é Paulinho, volante do Barcelona e da seleção brasileira.

– Antes do jogo, vi muitos vídeos do Paulinho, na minha opinião, o melhor jogador brasileiro que faz a função hoje – contou.

Emprestado pela Fiorentina até o fim desta temporada, mas com a opção de compra por parte do Vasco, Gilberto garante que não pensa se ano que vem estará morando no Rio de Janeiro ou em Florença. Para ele, tudo o que importa até a última rodada é a classificação do Cruz-Maltino para a Libertadores. O destino está nas mãos da diretoria e nos pés do jogador.

– Sobre o futuro ainda não sei. Meu foco está todo no Vasco, na briga pela Libertadores. Espero conseguir a classificação, continuar fazendo o meu trabalho bem feito aqui no Vasco e, quando acabar o campeonato, a gente vê o que vai acontecer. Mas, agora, só estou com cabeça para o Vasco.

Sem perder há dez partidas (foram quatro vitórias e seis empates), o Vasco tem contado com a eficiência de seu elenco, mas também com a sorte de times do G-7 não se distanciarem. Em caso de vitória contra o Atlético-MG nesta quarta e até um empate do Flamengo ou derrota do Botafogo, o Gigante da Colina entra na zona de classificação para a Libertadores, o que tem gerado uma esperança muito grande nos torcedores.

– A expectativa é muito positiva para o jogo contra o Atlético-MG. O time vem numa sequência boa de resultados. Esperávamos a vitória contra o São Paulo, mas foi um jogo muito complicado, contra um time de qualidade, e agora a gente tem a oportunidade de fazer um bom resultado contra o Atlético. Só depende de nós essa briga pela Libertadores. Vamos com tudo para conseguirmos a vitória na quarta-feira.

Fonte: GloboEsporte.com

Participe do nosso grupo de debates no facebook
Curta nossa fan page no facebook