Ainda sem Fabuloso, Vasco precisa de ataque eficiente contra o Avaí

No último post aqui do blog, falei sobre a importância do jogo de hoje, contra o Avaí, para o Vasco. Uma derrota pode nos jogar às portas do Z4, e isso tendo na sequência um clássico contra o Botafogo. Diante disso tudo, não é preciso falar como uma vitória é necessária para o time não começar a precisar, além da bola, de uma calculadora.

E ainda que as principais mudanças no time sejam na parte defensiva (Breno, suspenso, dá lugar ao recuperado e fora ritmo Paulão; Andrey toma a vaga do Jean no meio de campo), o que o Vasco precisa fazer antes de tudo é melhorar na parte ofensiva. Nossa incapacidade em fazer gols, mesmo quando criamos chances claras, não vem apenas dos dois últimos empates com Sport e Chapecoense: a última partida na qual o Vasco marcou mais de um gol foi contra o Galo, em Belo Horizonte, quando vencemos por 2 a 1. E lá se vão mais de 70 dias em que isso aconteceu.

Para tanto, a única mudança que Zé Ricardo fará na sua equipe é reconduzir o Wagner ao time titular. Mesmo que Yago Pikachu não tenha sido um exemplo de efetividade, a volta do meia não parece ser algo que fará uma diferença brutal na produção ofensiva do time. Já os outros jogadores de frente – Mateus Vital, Nenê e Andrés Rios – terão que apresentar muito mais do que fizeram nas últimas duas rodadas (livrando um pouco a cara do Mateus, um pouco mais produtivo que os outros dois, ainda que seja o único dos três a não marcar gols nas duas últimas partidas).

O Avaí faz uma das melhores campanhas do returno e tem na defesa um dos seus pontos fortes, o que só faz aumentar a expectativa de um jogo complicado para o nosso ataque. A derrota sofrida pelos nossos anfitriões na última rodada, em casa, não serve como parâmetro. Foi um resultado completamente fora da curva desse segundo turno e, por ter sido na mesma Ressacada onde jogamos hoje, é mais um fator complicador: certamente teremos um adversário que, além de querer fugir da degola, ainda vai querer mostrar à sua torcida que o resultado contra o Atl-GO foi um acidente.

Zé Ricardo não pode contar com os dois atacantes mais eficientes do elenco (Fabuloso por contusão, Thalles por desleixo). Mas isso não diminui em nada a urgência do Vasco em vencer e sem fazer gols, isso não será possível. Então nosso técnico não tem outra opção: terá que se virar para fazer o ataque funcionar com o que tem em mãos.

Fonte: JC Barbosa, Colina Express – ESPN

Participe do nosso grupo de debates no facebook
Curta nossa fan page no facebook